R. Sete de Setembro, 363 - Americana, SP
55 (19) 3461.7048 - (19) 3461.1865
ipamericana@ipamericana.org.br
Tema do Mês
Fé centralizada na pessoa de Cristo
Lucas 2. 11
 
 
 
Mensagens
 
11/09/2016
ENSINAMENTOS DO PRÓLOGO DE JOÃO

Texto: João 1.6-13

I – Introdução
“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos”, diz o salmista no Salmo 119.105. O apóstolo Paulo fala a mesma coisa para o jovem pastor Timóteo: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça” ( II Tm 3.16). De fato, cremos que a Bíblia “é a nossa única regra de fé e prática”. Por meio dela aprendemos sobre os ensinamentos de Deus para nossas vidas.

 

II – Narração
O texto de João 1.6-13 faz parte do prólogo de João. Depois de falar da eternidade do Verbo de Deus ( João 1.1-5), o evangelista volta-se para um homem comum: João Batista. Ele quer apresentar João Batista com sua função de preparar os caminhos do Senhor Jesus. Quando ele faz isto, apresenta-nos alguns preciosos ensinamentos. Vejamos os ensinamentos do prólogo de João:

 

III – Tema: Ensinamentos do prólogo de João. Aprendemos sobre:

 

1) A verdadeira natureza das funções dos discípulos de Jesus Cristo ( vs. 6-8)
O evangelista fala da função específica de João Batista: testemunhar a respeito de Jesus Cristo. Na função de João Batista encontramos a função de todos os discípulos de Jesus Cristo. Ser testemunha. Leia os textos: Atos 1.8; 2.40; 20.21. São textos que apontam para o testemunho que devemos ter para com nosso Senhor Jesus Cristo. Nossa função é apontar sempre para a pessoa do Senhor Cristo. Somos testemunhas do Senhor Jesus.

2) O que nosso Senhor Jesus Cristo é para a humanidade (v. 9)
O Senhor Jesus Cristo é para as almas dos homens o que o sol é para o mundo. Ele é o centro e a fonte de toda a luz espiritual. À semelhança do sol, alumia para o bem de toda humanidade. Ele é a “luz do mundo”.

 

3) Quão mau é por natureza o coração do homem (vs. 10-11)
O Verbo se fez carne e apareceu no mundo. Não teve, porém, melhor acolhida. Apresentou-se ante os judeus, esse povo que ele tirara do Egito e resgatara para si; esse povo que ele separara das nações e a quem se revelara por meio dos profetas. Todavia, o recusaram. Ainda hoje, revelamos toda nossa maldade, rejeitando o Senhor Jesus Cristo em nossas vidas. Quão mau nós somos!

 

4) Quão grande é o privilégio concedido aos que aceitam a Cristo e creem nele –(vs 12-13)
Se a maioria dos judeus não o reconheceu como Messias, houve pelo menos alguns que o aceitaram nesse caráter. A estes, concedeu ele a graça de se tornarem filhos de Deus, adotando-os como membros da família de Deus Pai. Somos nós filhos de Deus? Nascemos espiritualmente? Só quem nasce da vontade de Deus torna-se filho dEle.

 

IV – Conclusão
Aprendamos com o prólogo de João. Há aqui ensinamentos preciosos para a nossa vida. Sejamos testemunhas fiéis de Jesus Cristo. Tenhamos consciência de nossa maldade. Tenhamos consciência da verdadeira luz que é o Senhor Jesus Cristo, e, tenhamos consciência da importância da fé e do novo nascimento a partir de Jesus Cristo. A fé em Cristo nos capacita a sermos filhos de Deus.

 
 
IPA . Igreja Presbiteriana de Americana © 2014-2015 . Todos os direitos reservados . Criado por DRW Integrada
 
Quem Somos Sociedades Ministérios Informações Contatos
Notícias
Agenda
Boletim Semanal
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Mensagens
Estudos
IPA TV
Fale Conosco
Atendimento
Congregações
Cadastre-se