R. Sete de Setembro, 363 - Americana, SP
55 (19) 3461.7048 - (19) 3461.1865
ipamericana@ipamericana.org.br
Tema do Mês
Fé centralizada na pessoa de Cristo
Lucas 2. 11
 
 
 
Mensagens
 
12/06/2016
ENFRENTANDO OS DILEMAS DA VIDA

MENSAGEM DOMINICAL - GF
Americana, 12 de junho de 2016

 

TEXTO: João 7.53 – 8.11

INTRODUÇÃO

            Breve reflexão sobre o estupro coletivo da menor no Rio de Janeiro -  “cultura do estupro”; “cultura da coisificação”; “culpa da vítima(?)” - ainda hoje, estamos prontos e atentos para julgar e apontar.

 

EXPLICAÇÃO:

Narrativa do texto. Contexto a partir do capítulo 7.10: Realização da grande festa – a festa dos tabernáculos; Jesus aproveitou o momento para ensinar (7.14); alguns se maravilhavam (7.15); outros, queriam prender e matar Jesus e a todo momento procuravam razões para isso, até que encontram uma boa forma de fazê-lo e sem escrúpulos, usam uma mulher para a finalidade suja: colocar Jesus num dilema e condená-lo por seus posicionamentos. O dilema apresentado a Cristo: ou desrespeita a lei de Moisés, dizendo para não apedrejar; ou desrespeita a lei dos romanos, que não permitia que ninguém fosse executado senão pelas mãos do império.

Muitos dilemas enfrentamos também nós! Como resolver? Como enfrentar?

TEMA: ENFRENTANDO OS DILEMAS DA VIDA

1)      COM SILÊNCIO (v.5-6)

Esse foi um silêncio que falou alto, mais do que qualquer palavra. Por que escrevia? O que escrevia? Como ficou a mulher?

Duas coisas podemos aprender: primeiro, que muitas vezes, e creio que quase na maioria das vezes, o silêncio é o primeiro movimento que precisamos ter.... silêncio não significa não fazer nada. Segunda lição: E nós? Como ficamos quando esperamos por alguma resposta e o que temos é o silêncio?

 

2)      COM SABEDORIA (v. 7-9)

Jesus se ergue. Coloca-se na altura dos seus inquiridores e responde como só ele poderia fazer; ele não diminuiu a gravidade do pecado praticado; não colocou de lado a lei; nem foi conivente com o pecado. Aqueles que planejavam cometer o pecado do homicídio, ficam indignados e corados de vergonha.

            Não somos, nem temos condições, em nós de agir de igual forma. Somos falhos e fracos. Mas temos o caminho (Tiago 1.5-6). Precisamos, pela ação do Espírito, falar palavras sábias, em momento oportuno.

 

3)      COM PERDÃO (v. 9-11)

Você consegue imaginar aqueles acusadores se retirando, covardemente, uma a um, começando dos mais velhos, até que o grupo desapareça? Jesus não desprezou a mulher, não a desqualificou nem a condenou.

Observar Mateus 7.1-2. Que ao olharmos os erros dos outros possamos exortá-los em amor de forma sábia, sempre lembrando que também somos falhos e que também erramos em muitas coisas que julgamos errado segundo às Escrituras.

            E apesar de não haver a expressão do perdão de pecados, o perdão também fica subentendido na ordem baixada por Jesus para que ela não pecasse mais.... o que permite ver que lhe foi dada a oportunidade de um novo começo de vida. Jesus cumpre João 3.17

 

CONCLUSÃO:

            Cada um de nós também fomos alvo do perdão de Deus, em Cristo. Com base no seu amor por nós, façamos o mesmo com nosso próximo e invistamos nosso tempo na busca da melhor maneira para enfrentar nossos dilemas.

 

Sermão proferido pelo Rev. Jabis, em 12/7/2016, na IPA

 
 
IPA . Igreja Presbiteriana de Americana © 2014-2015 . Todos os direitos reservados . Criado por DRW Integrada
 
Quem Somos Sociedades Ministérios Informações Contatos
Notícias
Agenda
Boletim Semanal
Galeria de Fotos
Galeria de Vídeos
Mensagens
Estudos
IPA TV
Fale Conosco
Atendimento
Congregações
Cadastre-se